Mil vezes Gretchen cidadã paraense, a Bolsonaro ou Damares


Foto: Reprodução | Fonte: Correio Paraense

A deputada estadual Dilvanda Faro, do Partido dos Trabalhadores (PT), propôs por meio do Decreto Legislativo nº 54/2021 entregar o título de “Cidadã do Pará”, a cantora Gretchen que hoje reside no Estado.


Cantora e empresária, é casada com o músico paraense Esdras Souza, com quem tem uma filha que foi adotada no Pará.


Logo após a vinculação da notícia que que a cantora Gretchen poderia receber o título Assembleia Legislativa do Estado de cidadã paraense, alguns blogs e portais começaram a vomitar machismo e misoginia se mostrando contra a entrega do título a cantora que mora no Pará e é casada com um paraense.


Qual motivo desse preconceito com a Gretchen? Ora esse mesmo parlamento deu a ministra Damares Alves o título de cidadão paraense, uma ministra de Bolsonaro que nem mora no Pará, não conhece absolutamente nada do Estado.


Verdade seja dita: Damares só recebeu o título de cidadã paraense por sua pretensão a disputa no Senado Federal no ano que vem, e o estado do Pará é um dos cotados a receber sua candidatura.

O próprio presidente Bolsonaro já foi agraciado com a comenda de cidadão paraense tanto pela câmara dos vereadores como pela assembleia legislativa, o Bolsonaro o presidente responsável pela gestão da pandemia de covid-19 com a morte de 600 mil brasileiros.


Embora não tenha nascido aqui, Gretchen adotou o Pará como seu estado para morar, seu casamento com o musico Esdras Souza foi todo a moda paraense, sempre exaltando a nossa cultura.


Gretechen Em 2020, foi madrinha da campanha alusiva aos 14 anos da Lei Maria da Penha, promovida pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) e pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA). Nesta ação, foi lançada a cartilha “Proteção à Mulher: ações para o enfrentamento à violência doméstica”, com foco no enfrentamento à violência contra o gênero feminino.


Nada mais justo do que a cantora ser agraciada com esse titulo do legislativo paraense, e os críticos e machistas fiquem babando de inveja.

39 visualizações0 comentário